Leitura do texto “A Mente e o Mundo” do livro Budadarma, publicado em Revista Bodisatva

“ A luz da lua no verão em um céu sem nuvens ilumina intensamente.

Mesmo as pessoas com olhos não sabem o grau de alcance, e muito menos aqueles que não enxergam.

A luz do Buda é igual.

Vindo de lugar algum e indo para nenhum lugar, ela não nasceu e não morre.

Ela é vazia e silenciosa e não possui substância.

Assim como a luz, todas as coisas são similares.

As coisas desde o princípio nunca tiveram uma natureza própria.

Se alguém realizar esta natureza verdadeira sua mente finalmente estará livre da delusão.”

A Lua Cheia, Yama e Buda

…passagens e meios… veja mais em https://medium.com/ormando