“Não chegar ao ponto em que não se diz mais EU, mas ao ponto em que já não tem qualquer importância dizer ou não dizer EU.

(…)

Um livro não tem objeto nem sujeito; é feito de matérias diferentemente formadas, de datas e velocidades muito diferentes.

Desde que se atribui um livro a um sujeito, negligencia-se este trabalho das matérias e a exterioridade de suas correlações.”

Mil Platôs ‘Introdução: Rizoma’ (Gilles Deleuze e Felix Guattari)

…passagens e meios… veja mais em https://medium.com/ormando

…passagens e meios… veja mais em https://medium.com/ormando